Canadá: FSWP 2014 – O Início

Mais uma empreitada! Depois de 6 meses de trabalho levantando documentos, indo atrás de legalização e autenticação, e, finalmente, viajando até a Itália para obter o reconhecimento da minha cidadania italiana, aqui estou começando mais um processo… Desta vez para levar minha experiência profissional e empolgação pelo que eu faço para o Canadá.

A vontade de tentar a vida no Canadá era antiga! Quando comecei a pesquisar em 2012 sobre as possibilidades de imigrar, indo à palestras e lendo tudo o que eu encontrava pela frente sobre a vida lá, decidi que queria morar na província de Quebec… caminho que seria mais provável de obter sucesso na época. A primeira coisa que eu fiz foi me matricular imediatamente em um curso semi intensivo de francês! Eu só sabia falar ‘bonjour’ e o idioma é essencial para quem pretende tentar essa sorte.

Ia religiosamente todos os sábados para 4horas de aula e, depois de um ano de estudos, fiz a prova do TCF Quebec na Aliança Francesa (em Fev/13) e consegui a pontuação que precisava para ser elegível para imigrar. Eu pretendia aproveitar as férias do trabalho para estudar mais um pouco da língua em Montreal por 4 semanas, mas nas reviravoltas da vida eu acabei decidindo tirar um ano de sabático para viajar o mundo – quando Morando no Mundo nasceu! – e coloquei o projeto mais um ano na estante.

No final de 2013 começaram a circular as notícias de abertura do último processo federal para imigração no Canadá no modelo atual, com 25.000 novas vagas entre 50 profissões listadas em demanda no país. Foi a Glória! Não porque eu não quisesse mais morar em Montreal, mas eu sou um milhão de vezes mais confortável em falar inglês do que francês… E nova saga começou: o Federal Skilled Worker Program (FSWP) aceitaria novas aplicações a partir de 1/5/2014!

O processo FSW exige um mínimo de comprovação de um ano (ou 1560 horas) de experiência na profissão escolhida para imigrar e a elegibilidade é calculada através de um sistema de pontuação que leva em consideração seis fatores: proficiência do idioma, educação, experiência profissional, idade, se a pessoa tem proposta de emprego no Canadá e adaptabilidade.

Os primeiros documentos a serem providenciados são proficiência do idioma inglês e equivalência de estudos, simplesmente porque eles demoram mais que os outros.

O governo canadense aceita dois testes de proficiência para o idioma inglês: o IELTS, coordenado pelo British Council e o CELPIP que atesta o conhecimento da língua dentro do Canadá. Como eu estava na Itália, encontrei uma data em Gênova (10/Maio/2014) para fazer meu teste. Foram 3horas sentada, provando as 4 categorias: compreensão oral e escrita, e expressão oral e escrita. Todos os testes for feitos no mesmo dia! Para o processo de imigração FSW a prova deve ser o General Training, não o Academic.

Ao se inscrever no IELTS, o British Council libera uma ferramenta para estudos e simulados, assim o candidato pode praticar antes das provas. Achei bastante útil e os simulados são bem completos. O valor ficou em Eur 210,00 (sim, paguei em euros) e o resultado é válido por um ano.

No dia 28/Maio fui buscar o resultado no escritório do British Council em Milão. O original foi entregue em somente uma via original e outra via poderia ser solicitada para envio direto à instituição (o que não era meu caso), conforme informação da atendente na recepção. Para o processo FSW é solicitado o envio da via original ao CIC. Mais tarde eu descobri que poderia ter pedido duas vias originais se solicitado com antecedência e explicando o motivo… Bom, agora vocês já sabem!

A pontuação mínima exigida pelo Canadá para o processo de imigração são 6 pontos para cada categoria do IELTS, e 7 pontos para cada categoria no CELPIP.

Falando com outras pessoas que fizeram o CELPIP, percebi que a diferença básica é que este teste é aplicado no computador, então quem tem problemas na escrita leva vantagem com o corretor ortográfico… rsrs.

A equivalência de diploma, ou Educational Credential Assessment (ECA), serve para o governo canadense certifique que a quantidade de horas e as matérias estudadas equivalem ao ensino que você obteria no Canadá. Existem três instituições aptas a fazer a equivalência para estudos gerais, não específicos:

Optei pelo World Education Services (WES) pela quantidade de informações e instruções de envio que encontrei online. O procedimento é teoricamente simples, mas como uma parte envolve a universidade onde você estudou, a coisa pode ficar chata…

É de responsabilidade do aluno enviar uma cópia simples do diploma ou da declaração de conclusão de curso diretamente para o endereço do WES, acompanhando da respectiva tradução juramentada – felizmente eu já estava com meu diploma em mãos! Mas é exigido pelo o WES que a instituição onde o aluno estudou envie diretamente à eles o histórico escolar com o registro das disciplinas cursadas e as notas obtidas em todos os anos do curso, também acompanhado da respectiva tradução juramentada.

Após longas conversas com a secretaria, que insistia que esse procedimento não era possível, consegui contato com a diretoria da universidade, que se comprometeu a enviar os documentos via correio ao WES, mas não iria providenciar nenhuma tradução. Então consegui autorização para que alguém retirasse o histórico escolar em meu nome, enviei para tradução, retornei toda a papelada à pessoa que se responsabilizou pelo envio e 25 dias depois (dia 27/Junho) chegou um e-mail do WES confirmando que eles haviam recebido a documentação completa para proceder com a equivalência dos meus estudos.

Dia 2/Julho outro e-mail do WES chegou informando que o relatório de equivalência tinha sido emitido, reconhecendo os 4 anos de estudo em administração de empresas. E como optei pelo envio por correio normal, 19 dias depois recebi o original na minha residência no Brasil.

Esse procedimento custou CAD 203,40 (dólares canadenses) e recebi duas vias originais do relatório, que é válido por 5 anos para apresentação junto ao CIC para aplicação ao FSW, que também exige envio de uma via original.

Esclarecendo algumas dúvidas… Caso você não tenha seu diploma em mãos, o WES aceita a declaração de conclusão de curso emitida pela entidade. Caso sua instituição se negue veemente a enviar qualquer coisa ao exterior, faça um courier em nome deles, mas envie em separado do documento que é de responsabilidade sua para não correr o risco de ser recusado. Peça sempre que o histórico escolar e declaração de conclusão de cursos sejam emitidos em papel timbrado e assinatura original do responsável, e que o envelope de entrega desses documentos seja em papel timbrado, para dar autenticidade aos documentos.

Lembre-se que o WES não devolve nenhum documento, então não mande nada original!

E esse é só o começo… tem um mon-te de documentos pela frente ainda!!


3 comentários sobre “Canadá: FSWP 2014 – O Início

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.